terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

"Quanto a ti, já reparaste como o mundo parece feito de pontas e arestas? Já chamei tua atenção para a escassez de contornos mansos nas coisas? Tudo é duro e fere. Observo, observas como ele se move sem choques por entre os gumes. Te parece dócil, assim sinuoso, evitando toques que possam machucá-lo? Pois a mim parece falso, conheço bem suas tramas e sei de todas as vezes que concedeu para que o de fora não o ferisse. Olha, ouve e repara: essas sinuosidades são de cobra, não de ave."

Eu, tu, ele - Caio F.

3 comentários:

Marcia Rodrigues disse...

Excelentes letras, caríssimo Daniel!

"...Observo, observas como ele se move sem choques por entre os gumes."

Ele superficial... ;D

Abraços!

Kivia Nascentes disse...

Olá =], achou meu blog de novo, eu havia excluido.
Mas que link que eu não sei?!

Kivia Nascentes disse...

legall, estou me sentindo importante agora hausha.
=]

beijos =*