terça-feira, 6 de novembro de 2007

A Bela e a Correnteza


Pelo espaço de um piscar
vi seu corpo entregar-se
como oferenda ao reino das águas.
Parecia uma boneca de porcelana
pálida e com os olhos arregalados de espanto.
Seus lábios abriam-se para espalhar seu canto
mas a imensidão de um rio corrente
a tomava e a fazia calar.
Incansavelmente lutava
para manter-se perto da margem e para flutuar,
mas em um golpe de covardia
as águas rudes e fortes diante da delicadeza da bela moça
a fizeram naufragar
e novamente pelo espaço de um piscar
vi o azul de seus olhos se desfazendo
e seu corpo finalmente flutuou sobre o leito do rio.
Nada mais importava agora,
a bela com sua beleza,
perdia a vida diante da correnteza
e nada pôde ser feito.
Em seu destino já estava marcado,
seu último dia seria alegre, sublime e com muito amor
mas em um momento de descuido se faria o horror
e uma alma vagaria pela eternidade
zelando pela calmaria daquelas águas.
DB

Um comentário:

Daniel disse...

uauuu
q blog legal
não li nada ainda
mas ja vi que tem temas bem legais.
jjejeje

bjs